Mostra sobre cinema alemão chega aos câmpus de Bom Jesus da Lapa e Santa Maria da Vitória

Filmes serão exibidos gratuitamente nos câmpus da UFOB até sexta-feira (15)

Berlim, 9 de novembro de 1989, a derrubada de um muro reunifica uma nação e marca para sempre a história da humanidade. Alemanha, 1945, término da Segunda Guerra Mundial, a luta dos soldados de tropas provoca um derramamento de sangue. Anos 2000, as dificuldades de integração dos filhos dos imigrantes turcos na sociedade germânica.

Os fatos narrados acima são contados nos dez filmes da mostra “Encontro com o cinema alemão”, que estarão em cartaz nos câmpus da Universidade Federal do Oeste da Bahia de Bom Jesus da Lapa e Santa Maria da Vitória até esta sexta-feira (15). Realizada em parceria com o Sesc-Barreiras e o Goethe –Institut, a mostra apresenta questões sociais contemporâneas e históricas de impacto desse país. A entrada é franca.

O evento também é a primeira atividade do projeto de extensão da UFOB “Visual Veredas”, que pretende, inicialmente, criar espectador crítico com a exibição regular de filmes nos cinco câmpus da instituição. Em um segundo momento, vai oferecer oficinas sobre a linguagem cinematográfica e produção de filme. Por fim, vai promover festivais competitivos e encontro com os produtores da região para discutir cinema.

A programação completa com os horários de exibição das películas por cidade está disponível abaixo.

Santa Maria da Vitória, às 8h e 19h

DIA 11

“Bem-vindo à Alemanha” (Almanya-Willkommen in Deutschland, 2010, 95min). Classificação: 12 anos. Direção: Yasemin Samdereli. Sinopse: Em 1964, Hüsyin Yilmaz deixou a Anatólia e veio à Alemanha como trabalhador imigrante. Agora está prestes a receber a cidadania alemã, mas não sabe se é isso que realmente deseja. Lembranças do passado se misturam com o presente enquanto a família toda está a caminho da Anatólia. O filme fala sobre identidades, que se transformam pouco a pouco, sobre a complexa pátria de cada um.

“A Vida é um Canteiro de Obras” (Das Leben ist eine Baustelle, 1997, 118min). Classificação: 16 anos. Direção: Wolfgang Becker. Sinopse: Em Berlim, manifestantes e policiais se enfrentam na rua, enquanto Jan Nebel vai para seu emprego no frigorífico. No caminho, derruba dois homens que perseguem uma jovem, e ele nem imagina que são policiais à paisana. A noite traz sérias consequências para Jan: uma multa, sua demissão e, talvez, a perda de seu grande amor. Pela manhã, ao fazer uma visita ao pai, encontra-o morto. Além disso, Jan desconfia que contraiu Aids.

 

DIA 12

“Berlin é a Alemanha” (Berlin is in Germany, 2001, 90min). Classificação: 14 anos. Direção: Hannes Stöhr. Sinopse: Após um longo período de reclusão, que teve início ainda nos tempos da antiga RDA, Martin é posto em liberdade na nova Berlim unificada. Involuntariamente, ele entra em conflito com a polícia, mas com a ajuda de sua mulher, consegue ser libertado e Martin tem uma segunda chance.

 

“Nenhum lugar para ir” (Die Unberührbare, 1999, 100min). Classificação: 14 anos. Direção: Oskar Roehler. Sinopse: Oskar Roehler relata a história de sua mãe — a escritora Gisela Elsner, que se suicidou em 1992 — através da personagem Hanna Flanders, uma escritora que vê sua suposta carreira destruída com a queda do Muro de Berlim. Gisela Elsner tinha se tornado uma figura tão marginal, que passara a ver-se como pária da sociedade cultural. Na verdade, exceto pelo seu furioso romance de estreia, Gisela nunca chegou a ser uma grande escritora. Membro do Partido Comunista Alemão, a escritora bem poderia ter pressentido que o fim da Alemanha Oriental seria também o fim do seu sucesso profissional.

 

DIA 13

“Todos os outros” (Alle anderen, 2008, 119min). Classificação: 14 anos. Direção: Maren Ade. Sinopse: Conta à história de Gitti e Chris, um casal com muitas diferenças e idades no início da casa dos trinta, que tenta desfrutar suas férias isolando-se a dois. Um casal que, longe de todos os outros, mantém seus rituais. Só não conseguem fugir um do outro.

“O que permanece” (Was bleibt, 2012, 88min). Classificação: 12 anos. Direção: Hans-Christian Schmid. Sinopse: Marko vem de Berlim para encontrar sua rabugenta mulher nas proximidades de Bonn e pegar seu filho Zowie. O casal vive separado, mas os avós de Zowie não podem saber. A ilusão da família intacta deve ser mantida, principalmente, por causa da avó Gitte, que já sofre de depressão há muitos anos. Durante um jantar, Gitte faz uma revelação que, em princípio, deveria alegrar a todos os presentes: ela declara estar vivendo agora sem o uso de medicamentos. Os parentes reagem com surpresa, estranheza e desconfiança, pois todos temem novos problemas.

 

DIA 14

“Adeus, Lênin!” (Good bye Lenin!, 2003, 120min). Classificação: 12 anos. Direção: Wolfgang Becker. Sinopse: Em 1978, em plena Alemanha Oriental, o pai de Alex Kerber deixa o país, rumo ao ocidente. Uma visita dos homens da Stasi (Serviço de Segurança Nacional) leva a mãe do garoto ao hospital, de onde volta como uma ativista ferrenha. Anos depois, em uma manifestação pacífica, ela vê seu filho Alex sendo espancado por representantes do governo e entra em coma após sofrer um infarto. O muro de Berlim é destruído e a casa da família é adaptada aos padrões ocidentais. Somente em 1990, um ano depois, ela desperta do coma. O médico explica que qualquer excitação pode ser fatal para a paciente. Por isso, Alex decide esconder a queda do Partido Socialista. Mas o que acontecerá quando a mãe, mesmo acamada, voltar para casa?

 

“Sonnenallee” (Sonnenallee, 1999, 94min). Classificação: 14 anos. Direção: Leander HauBmann. Sinopse: Retrato humorístico da vida dos jovens na Berlim de 1973 através da Sonnenallee, avenida que tem o trecho mais longo na Berlim Ocidental e seu trecho mais curto na oriental da cidade dividida.

 

DIA 15

“4 dias em maio” (4 Tage im Mai, 2011, 95min). Classificação: 14 anos. Direção: Achim von Borries. Sinopse: Alemanha, maio de 1945, quatro dias antes do término da Segunda Guerra Mundial, um pequeno grupo de soldados russos ocupa um orfanato na costa do mar Báltico e tenta se arranjar com os habitantes. Na praia ainda há um grupo de soldados alemães, prestes a fugir para Dinamarca. Um filme sobre a guerra, pouco provável, mas com base em fatos reais.

 

“Yella” (Yella, 2007, 88min). Classificação: 14 anos. Direção: Christian Petzold. Sinopse: Yella parte. Ela anseia pelo futuro. Deseja que a existência que tem levado se torne simplesmente uma questão do passado. Durante a viagem, conhece um homem que opera no mercado de capital de risco. Yella dá provas de competência como sua assistente, mas, momentos de sua vida pregressa misturam-se a sua nova vida.

 

 


 

BOM JESUS DA LAPA, ÀS 15H E 19H

DIA 11

“Adeus, Lênin!” (Good bye Lenin!, 2003, 120min). Classificação: 12 anos. Direção: Wolfgang Becker. Sinopse: Em 1978, em plena Alemanha Oriental, o pai de Alex Kerber deixa o país, rumo ao ocidente. Uma visita dos homens da Stasi (Serviço de Segurança Nacional) leva a mãe do garoto ao hospital, de onde volta como uma ativista ferrenha. Anos depois, em uma manifestação pacífica, ela vê seu filho Alex sendo espancado por representantes do governo e entra em coma após sofrer um infarto. O muro de Berlim é destruído e a casa da família é adaptada aos padrões ocidentais. Somente em 1990, um ano depois, ela desperta do coma. O médico explica que qualquer excitação pode ser fatal para a paciente. Por isso, Alex decide esconder a queda do Partido Socialista. Mas o que acontecerá quando a mãe, mesmo acamada, voltar para casa?

 

“Sonnenallee” (Sonnenallee, 1999, 94min). Classificação: 14 anos. Direção: Leander HauBmann. Sinopse: Retrato humorístico da vida dos jovens na Berlim de 1973 através da Sonnenallee, avenida que tem o trecho mais longo na Berlim Ocidental e seu trecho mais curto na oriental da cidade dividida.

 

DIA 12

“4 dias em maio” (4 Tage im Mai, 2011, 95min). Classificação: 14 anos. Direção: Achim von Borries. Sinopse: Alemanha, maio de 1945, quatro dias antes do término da Segunda Guerra Mundial, um pequeno grupo de soldados russos ocupa um orfanato na costa do mar Báltico e tenta se arranjar com os habitantes. Na praia ainda há um grupo de soldados alemães, prestes a fugir para Dinamarca. Um filme sobre a guerra, pouco provável, mas com base em fatos reais.

 

“Yella” (Yella, 2007, 88min). Classificação: 14 anos. Direção: Christian Petzold. Sinopse: Yella parte. Ela anseia pelo futuro. Deseja que a existência que tem levado se torne simplesmente uma questão do passado. Durante a viagem, conhece um homem que opera no mercado de capital de risco. Yella dá provas de competência como sua assistente, mas, momentos de sua vida pregressa misturam-se a sua nova vida.

 

DIA 13

“Bem-vindo à Alemanha” (Almanya-Willkommen in Deutschland, 2010, 95min). Classificação: 12 anos. Direção: Yasemin Samdereli. Sinopse: Em 1964, Hüsyin Yilmaz deixou a Anatólia e veio à Alemanha como trabalhador imigrante. Agora está prestes a receber a cidadania alemã, mas não sabe se é isso que realmente deseja. Lembranças do passado se misturam com o presente enquanto a família toda está a caminho da Anatólia. O filme fala sobre identidades, que se transformam pouco a pouco, sobre a complexa pátria de cada um.

“A Vida é um Canteiro de Obras” (Das Leben ist eine Baustelle, 1997, 118min). Classificação: 16 anos. Direção: Wolfgang Becker. Sinopse: Em Berlim, manifestantes e policiais se enfrentam na rua, enquanto Jan Nebel vai para seu emprego no frigorífico. No caminho, derruba dois homens que perseguem uma jovem, e ele nem imagina que são policiais à paisana. A noite traz sérias consequências para Jan: uma multa, sua demissão e, talvez, a perda de seu grande amor. Pela manhã, ao fazer uma visita ao pai, encontra-o morto. Além disso, Jan desconfia que contraiu Aids.

 

DIA 14

“Berlin é a Alemanha” (Berlin is in Germany, 2001, 90min). Classificação: 14 anos. Direção: Hannes Stöhr. Sinopse: Após um longo período de reclusão, que teve início ainda nos tempos da antiga RDA, Martin é posto em liberdade na nova Berlim unificada. Involuntariamente, ele entra em conflito com a polícia, mas com a ajuda de sua mulher, consegue ser libertado e Martin tem uma segunda chance.

 

“Nenhum lugar para ir” (Die Unberührbare, 1999, 100min). Classificação: 14 anos. Direção: Oskar Roehler. Sinopse: Oskar Roehler relata a história de sua mãe — a escritora Gisela Elsner, que se suicidou em 1992 — através da personagem Hanna Flanders, uma escritora que vê sua suposta carreira destruída com a queda do Muro de Berlim. Gisela Elsner tinha se tornado uma figura tão marginal, que passara a ver-se como pária da sociedade cultural. Na verdade, exceto pelo seu furioso romance de estreia, Gisela nunca chegou a ser uma grande escritora. Membro do Partido Comunista Alemão, a escritora bem poderia ter pressentido que o fim da Alemanha Oriental seria também o fim do seu sucesso profissional.

 

DIA 15

“Todos os outros” (Alle anderen, 2008, 119min). Classificação: 14 anos. Direção: Maren Ade. Sinopse: Conta à história de Gitti e Chris, um casal com muitas diferenças e idades no início da casa dos trinta, que tenta desfrutar suas férias isolando-se a dois. Um casal que, longe de todos os outros, mantém seus rituais. Só não conseguem fugir um do outro.

“O que permanece” (Was bleibt, 2012, 88min). Classificação: 12 anos. Direção: Hans-Christian Schmid. Sinopse: Marko vem de Berlim para encontrar sua rabugenta mulher nas proximidades de Bonn e pegar seu filho Zowie. O casal vive separado, mas os avós de Zowie não podem saber. A ilusão da família intacta deve ser mantida, principalmente, por causa da avó Gitte, que já sofre de depressão há muitos anos. Durante um jantar, Gitte faz uma revelação que, em princípio, deveria alegrar a todos os presentes: ela declara estar vivendo agora sem o uso de medicamentos. Os parentes reagem com surpresa, estranheza e desconfiança, pois todos temem novos problemas.

 

 

 

UFOB - Universidade Federal do Oeste da Bahia 
© 2020

Catálogo de Telefones

Reitoria
Rua Professor José Seabra de Lemos, 316.
Recanto dos Pássaros.
CEP: 47808-021
Barreiras – BA

Fone: +55 77 3614-3500